Aécio aposta em novos apoios e descarta anunciar vice neste sábado

Senador e pré-candidato do PSDB à Presidência diz contar com 'dissidências' de partidos da base aliada do governo

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

13 Junho 2014 | 14h07

SÃO JOÃO DEL REI (MG) - O senador Aécio Neves (PSDB), pré-candidato à Presidência, afirmou nesta sexta-feira, 13, que conta com "dissidências" de partidos da base aliada do governo federal para ganhar mais apoio à sua campanha. Sem citar nomes, Aécio disse também que a legenda não definirá o nome do candidato a vice-presidente na convenção nacional tucana marcada para este sábado, 14, por haver "instabilidade em outras forças políticas" que podem aderir à sua candidatura.

"Podem esperar que teremos dissidências cada vez mais amplas por todo o Brasil e essas dissidências fortalecerão a oposição, porque ela representa o sentimento que é do brasileiros, de mudanças profundas", declarou o senador. Em evento do diretório tucano de Minas, em maio, Aécio afirmou que poderia "conversar" com o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles (PSD), sobre a vaga de vice caso seu partido deixe a aliança com a presidente Dilma Rousseff.

"Enquanto esse partido tiver uma aliança com o governo federal não cabe a mim fazer qualquer especulação. O que tenho visto é que tanto em relação ao PSD, quanto ao próprio PMDB, ao PP e vários outros partidos é que no âmbito regional a maioria dessas forças está se somando ao nosso lado, porque elas querem mudança", disse nesta sexta o senador, segundo o qual há "vários nomes cogitados dentro e fora do partido" para a vaga de vice.

No fim da manhã Aécio percorreu ruas de São João del Rei, no Campo das Vertentes, e visitou o túmulo de seu avô, o ex-presidente Tancredo Neves, antes de se dirigir para São Paulo para a convenção que confirmará seu nome para a corrida presidencial. "Ele (Tancredo) sempre dizia que nos seus momentos de maior inquietação, de maior dificuldade, era aqui em São João que ele buscava energia para continuar sua caminhada. E eu sigo esse exemplo", concluiu.

Mais conteúdo sobre:
eleições 2014 Aécio Neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.