Aécio anuncia seis coordenadores do programa de governo

Para cumprir a lei eleitoral, tucano só vai apresentar as principais diretrizes do programa no início de julho

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo - texto atualizado às 18h37

20 Junho 2014 | 14h41

RIO - Ao anunciar os nomes de seis coordenadores do programa de governo, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, procurou rebater as especulações sobre possíveis retrocessos na área social e prometeu "a mudança corajosa e segura que o Brasil espera". Aécio citou seis pilares do programa: descentralização, eficiência, simplicidade, confiança, transparência e inovação. "É tudo que está faltando ao Brasil hoje", disse o tucano depois de se reunir com a equipe. 

O poeta e ex-presidente da Fundação Biblioteca Nacional Affonso Romano de Sant'Anna vai coordenar área de cultura. A assistente social Maria do Carmo Brant de Carvalho, da PUC-SP, se ocupará das políticas sociais. O sociólogo Claudio Beato, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), cuidará das propostas para segurança pública. 

À frente do capítulo juventude estará o fundador e coordenador do grupo AfroReggae, José Junior. A ex-secretária do Estado de São Paulo (gestão de José Serra) Maria Helena Guimarães de Castro reunirá as propostas para educação. O ex-deputado e ex-secretário de Meio Ambiente (gestão Mário Covas) Fábio Feldmann foi confirmado coordenador de meio ambiente e sustentabilidade. 

A reunião teve a participação do responsável pelas propostas da área econômica, ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, que evitou responder a perguntas específicas, para evitar "interpretação meio pobre" por parte dos adversários. "É cedo para centrar nesse nível de detalhe, ainda mais nesse ambiente altamente populista em que qualquer coisa que se fale sai do contexto", disse Armínio ao ser questionado sobre reajuste da gasolina. "Precisamos rearrumar, reposicionar a economia para ela crescer. Vamos procurar diminuir as incertezas para criar as condições para investir nas pessoas e crescer". 

O coordenador-geral do programa de governo, ex-governador mineiro Antonio Anastasia, e a ex-presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e da Empresa Olímpica Municipal ,Maria Silvia Bastos Marques, também estavam na reunião. Maia Silva ainda não sabe a tarefa que terá na equipe de Aécio. 

Para cumprir a legislação eleitoral, Aécio apresentará a principais diretrizes do programa no início de julho. O tucano informou que abrirá o portal do PSDB para receber propostas da sociedade. E evitou especulações sobre nomes de integrantes de um possível governo tucano. 

"Não são ministros. São pessoas que vão ouvir os setores onde atuaram e compilar as propostas. Não farão contribuições individuais", disse Aécio sobre os coordenadores. 

A coordenadora de políticas sociais disse que o fim da pobreza é a meta a ser perseguida e prometeu continuidade e aprimoramento do Bolsa Família. "É um programa exitoso, na gestão Lula e Dilma foi aperfeiçoado e não vamos jogar isso no lixo em hipótese alguma", afirmou Maria do Carmo, ex- superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). 

"Vamos buscar outros ingredientes para reduzir a pobreza a zero. Nosso país não tem pobreza faminta, é uma pobreza que a gente pode equacionar, por isso nossa proposta lá longe será de nenhum pobre mais", afirmou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.