Aécio admite 'gestos' do PMDB, mas não discute sucessão

Ministro Hélio Costa tem articulado a mudança de partido do governador, que diz que 2010 ainda é prematuro

Andréia Sadi, do estadao.com.br

28 de novembro de 2008 | 15h03

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, confirmou nesta sexta-feira, 28, "gestos" do PMDB para que ele troque de partido, mas disse que só discute a sucessão em 2010, informou a sua assessoria ao estadao.com.br. "Eu agradeço os gestos que o PMDB tem feito em nível nacional e agora em nível regional, mas repito que eu como governador de Estado tenho uma prioridade que é administrar bem Minas Gerais e falo com absoluta franqueza e acho que isso serve para qualquer outro governante", informou, por meio de sua assessoria.  Uma das principais articulações para que o governador tucano passe para o PMDB tem sido feita pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa. "Eu tenho uma interlocução muito fácil com o ministro Hélio Costa e com outras lideranças do PMDB como o presidente Fernando Diniz", afirmou Aécio.

Tudo o que sabemos sobre:
Aécio Nevessucessão presidentecial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.