Aécio aborda mortalidade infantil; PT e PSB repetem tema

A campanha de Aécio Neves (PSDB) foi a única a apresentar um novo programa no horário eleitoral da televisão, com tema diferente da propaganda exibida mais cedo no rádio. O tucano abordou a mortalidade infantil e suas ações para diminuí-la em Minas Gerais. Já Dilma Rousseff (PT) reapresentou ideias e realizações para facilitar a vida do microempresário, enquanto Marina Silva (PSB) repetiu o programa do rádio com a promessa de que manterá o Bolsa Família.

STEFÂNIA AKEL, Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2014 | 14h17

Aécio destacou a criação do programa Mães de Minas quando governou o Estado e afirmou que a iniciativa ajudou a reduzir a mortalidade infantil em 32%. Com a promessa de expandir o programa para todo o Brasil se eleito, o tucano explicou que a ideia é acompanhar as mães na gravidez, no parto e no primeiro ano da criança. A propaganda do candidato apresentou ainda o depoimento de uma mãe beneficiada pelo Mães de Minas.

"Faço questão de mostrar o que fiz como governador de Minas Gerais, porque um candidato à Presidência tem que ser julgado não só pelo que promete, mas pelo que já fez", disse Aécio, no fim do programa. Ele acrescentou que, sem pulso firme e força política, o sistema "devora" as boas intenções. "Se o governo não funciona, nada funciona, como o que vemos hoje no Brasil. Eu quero botar ordem na casa, o que eu te peço é que me deixe fazer isso", disse o tucano.

Marina repetiu o programa exibido mais cedo no rádio, que reapresentou seu discurso feito em Fortaleza. A candidata falou de sua infância difícil. "Nós vamos manter o Bolsa Família. Eu sei o que é passar fome. Eu me lembro de ter olhado para o meu pai e minha mãe e perguntado: vocês não vão comer? E minha mãe respondeu..." (não conseguiu concluir a frase). Em seguida, ela afirmou que sua mãe disse que não estava com fome.

Na propaganda, Marina ainda deixa um recado para a campanha do PT: "Dilma, você fique ciente, não vou lhe combater com as suas armas, vou lhe combater com a nossa verdade, com o nosso respeito e com as nossas propostas".

Já o programa da petista voltou ao tema das micro e pequenas empresas apresentado mais cedo no rádio. Ela prometeu aumentar o apoio ao microempreendedor e destacou ações nesse sentido, como o Simples Nacional e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa. A presidente anunciou ainda que, se eleita, implantará o programa Brasil Sem Burocracia. Outra promessa feita por Dilma para um segundo mandato foi a criação do Pronatec Jovem Aprendiz. Nele, em vez de a empresa custear um curso profissionalizante para o aprendiz contratado, o governo é quem vai oferecer o estudo. "A micro e pequena empresa só precisa contratar", disse Dilma.

O fim do programa da candidata à reeleição relembrou uma série de ações em diversas áreas, como o Mais Médicos e investimentos no transporte público. Em seguida, para encerrar, apareceu o Pessimildo - boneco mal humorado criado pela campanha que ironiza as previsões negativas sobre o desempenho do governo. Na inserção, o personagem rebateu afirmações positivas do locutor sobre a gestão petista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.