Aécio: 40 ministérios são para atender à 'companheirada'

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, atacou os governos do PT em entrevista de pouco mais de dez minutos à rádio do Mercadão de Madureira, tradicional centro de comércio popular da zona norte do Rio, na manhã desta terça-feira. "Quem tem condições de derrotar o PT no segundo turno somos nós", disse Aécio, sem citar a candidata do PSB, Marina Silva, segunda colocada nas pesquisas. "Me preparei para governar o Brasil e encerrar esse ciclo que está aí, de inflação alta, crescimento baixo e escândalos que não param", afirmou o tucano.

FELIPE WERNECK E IDIANA TOMAZELLI, Estadão Conteúdo

30 de setembro de 2014 | 13h46

Aécio voltou a defender na entrevista a redução da maioridade penal e o corte de metade dos ministérios. "Vou acabar com metade dos atuais ministérios. É uma vergonha o Brasil ser hoje administrado por quase 40 ministérios para atender à companheirada", acusou.

O senador permaneceu por 50 minutos no Mercadão de Madureira, mas não percorreu os boxes. Apenas desceu para a rádio, que fica no subsolo, e depois foi embora. O candidato posou para fotografias com eleitores e ganhou de um deles um chapéu Panamá, que colocou na cabeça. Ao sair, o tucano entrou em um ônibus da linha 734 (Rio das Pedras) e presenteou o motorista com o chapéu. Em seguida, Aécio desceu, entrou em seu carro, que estava atravessado na pista impedindo o tráfego, e foi embora. O candidato não tem nenhum outro compromisso agendado para hoje no Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesAécioRJministérios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.