Advogados são presos por crime contra Previdência

A Polícia Federal prendeu hoje quatro advogados, um deles servidor do INSS, acusados de envolvimento em um esquema de crimes contra a Previdência. Lotado no Posto Prisma do INSS, no prédio da procuradoria do órgão, no centro, Luís Afonso Mandaro se aproveitava de informações privilegiadas para cooptar clientes para o escritório de advocacia que mantém em sociedade com a servidora aposentada do Ministério da Saúde Ângela Azevedo Gomes.Eles enviavam cartas a segurados com benefícios suspensos, a quem ofereciam seus serviços. As ações judiciais para o restabelecimento dos benefícios e o pagamento de valores atrasados eram assinadas também pelos advogados Paulo Henrique de Souza Azevedo e Rosa Maria Estevam Silva, que, segundo a PF, tinham conhecimento de todo o esquema.Como remuneração, a quadrilha cobrava uma percentagem dos pagamentos atrasados. Os quatro foram interrogados pela PF e estão sob prisão temporária. A polícia também realizou buscas no posto do INSS e no escritório de Mandaro e Ângela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.