Advogados pedem ao STF regime aberto para Dirceu

A defesa do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu pediu nesta segunda-feira, 20, ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorize a transferência dele do regime semiaberto para o aberto. Dirceu cumpre pena de 7 anos e 11 meses de prisão por envolvimento com o esquema do mensalão. Mas, de acordo com a defesa, já conquistou o direito de ir para o regime aberto que, em Brasília, é cumprido em prisão domiciliar.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Estadão Conteúdo

20 de outubro de 2014 | 14h28

A expectativa é de que Barroso autorize a transferência, uma vez que ele atendeu a pedido semelhante de outros condenados por participação no mensalão, entre os quais, o ex-deputado federal José Genoino e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. Antes de ir para casa, Dirceu terá de passar por uma audiência com um juiz em Brasília. Na audiência, o magistrado explicará as regras do regime aberto, entre as quais a proibição de conviver com outros condenados.

O ex-ministro José Dirceu conseguiu reduzir o tempo na prisão porque nesse período trabalhou e estudou. Ele deu expediente no escritório do advogado José Gerardo Grossi. Hoje, Dirceu conquistou o direito à progressão de regime. No entanto, o Ministério Público será consultado sobre a conveniência de ele ser transferido para casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.