Advogados de Protógenes sugerem que evite polêmica

Protógenes Queiroz foi aconselhado a evitar a politização de seus atos e da Satiagraha, operação policial que ele idealizou e culminou com a prisão do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity.A recomendação foi passada ao delegado federal por seus próprios advogados, Vicente Greco Filho e Maurício Alvarez Mateos, que o defendem no inquérito que a Polícia Federal abriu para investigar o vazamento de dados secretos da Satiagraha.Há três semanas, a PF fez buscas em cinco endereços de Protógenes, em São Paulo, Brasília e Rio, atrás de indícios que pudessem comprometê-lo.Protógenes foi excluído no início da semana de suas funções na Diretoria de Inteligência Policial da PF, unidade que integrava havia mais de 5 anos. O diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, disse que o afastamento foi decretado não só por excessos de Protógenes na Satiagraha, "mas por atuar com engajamento político".O delegado está na iminência de ser indiciado criminalmente por quebra de sigilo funcional, violação da Lei do Grampo e usurpação de função pública. Ele é acusado de ter recrutado 84 agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na investigação de competência da PF.Desde que deflagrou a maior missão de sua carreira, Protógenes tem sido constantemente convidado para dar palestras em faculdades e instituições oficiais. Não raro, políticos ligados ao PSOL aproveitam e promovem manifestações em defesa do delegado."Protógenes me garantiu que não é candidato nem pretende se vincular a partido algum", afirmou Greco Filho, que foi promotor de Justiça durante 27 anos e é professor titular de Direito Penal da USP. "Creio que (políticos) estão aproveitando a oportunidade para se aproximar de um delegado muito preparado e de grande credibilidade, que muito antes da Satiagraha já era solicitado para dar palestras."FIFAO advogado destacou que Protógenes "até já tem cancelado compromissos acadêmicos para evitar a exploração política em torno de seu nome". "Ele não tem interesse em partidarizar sua atuação, é delegado muito conhecido pela técnica com que trata seus inquéritos. Ele é inclusive o representante da PF junto à Fifa para questões de segurança relativas à candidatura da Copa 2014."Greco Filho e Maurício Mateos estudam medidas que poderão tomar diante da investigação da PF contra Protógenes. Eles não excluem a possibilidade de requererem o trancamento do inquérito, caso a PF indicie o delegado. "Primeiro vamos analisar a consistência do indiciamento, se de fato ocorrer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.