Advogados de Jefferson pedem consulta sobre prisões

Advogados do ex-deputado federal Roberto Jefferson, condenado por envolvimento com o mensalão, pediram nesta terça-feira, 17, ao Supremo Tribunal Federal (STF) que consulte a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro sobre se existem efetivas condições para garantir ao ex-parlamentar dieta e acompanhamento nutricional nas prisões do Estado.

MARIÂNGELA GALUCCI, Agência Estado

17 Dezembro 2013 | 19h09

Roberto Jefferson quer cumprir a pena em prisão domiciliar. Ele alega sofrer de doença metabólica em razão de recente tratamento para câncer no pâncreas. Conforme seus advogados, precisa de cuidados nutricionais e higiênicos indisponíveis no sistema prisional brasileiro. A dieta do ex-congressista, segundo os advogados, é extremamente regrada e inclui itens como salmão defumado, omelete de claras e geleia real.

Na segunda-feira, autoridades responsáveis por execuções de penas no Rio de Janeiro informaram ao STF que o sistema prisional do Rio de Janeiro tem condições de receber Jefferson. Na petição protocolada nesta terça, a defesa frisa que não se trata apenas de tratamento médico, mas sim de ser assegurado ao ex-deputado "acompanhamento nutricional necessário para a manutenção da vida".

Conforme os advogados de Jefferson, não é a Vara de Execuções Penais do Rio que tem de dizer se há possibilidade de garantir ao ex-deputado o tratamento necessário, mas a secretaria de administração do sistema penitenciário.

Mais conteúdo sobre:
Mensalão Jefferson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.