Advogados de Jader pedem habeas-corpus preventivo

Os advogados Eduardo Alckmin e AntonioMarra deram entrada ontem, no Tribunal Federal da 1ª Região,a um habeas-corpus preventivo para que o ex-senador JaderBarbalho(PMDB-PA) não volte a ser preso pela Justiça Federal dePalmas (TO). Após decretação da indisponibilidade dos bens deJader, pela juíza substituta da 2ª Vara Federal de Palmas,Ednamar Ramos, os advogados resolveram se antecipar para nãoserem surpreendido por novo decreto de prisão.Alckmin e outros advogados de Jáder entendem existir umapredisposição da Justiça Federal do Tocantins em prejulgar. Opedido de habeas-corpus estava redigido desde quinta-feira e sóteve entrada na sexta feira à noite no TRF.Em Belém, o advogado particular do ex-senador EdilsonDantas, disse que ainda não recebeu notificação da juíza dePalmas sobre o bloqueio dos bens. "Só posso fazer alguma coisadepois de tomar conhecimento do teor do processo", resumiu. Eleconsiderou estranho que uma juíza que mal havia acabado desubstituir o juiz titular, Alderico Santos, que havia entrado emférias, tenha decretado o bloqueio dos bens das empresas deJader poucas horas depois de receber o pedido. "É tudo semprefeito na sexta feira à noite e no final do expediente",criticou Dantas.Segundo o advogado, o seqüestro judicial de bens é umamedida que precisa ser analisada com cautela, porque no caso dasempresas de Jader envolve outros sócios que não podem sofrerviolência. Por isso, ele disse ser necessário saber quem a juízanomeou como depositário dos bens. O próprio ex-senador poderiaficar como fiel depositário dos bens, mas ele não acredita queessa providência tenha sido tomada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.