Advogados da União fazem manifestação no centro do Rio

Cerca de 250 defensores e advogados públicos da União participaram de manifestação hoje à tarde, em frente ao prédio da Justiça Federal, no centro do Rio, para marcar a paralisação nacional de 24 horas das duas categorias. O protesto pode ter sido apenas o primeiro de uma série de atos contra o governo federal. Eles exigem melhores condições de trabalho e salários mais altos, entre outros pontos, e prometem cruzar os braços novamente, dias 9 e 10 de março, se as negociações com o governo não avançarem.Para os manifestantes, é, no mínimo, contraditório que a Advocacia Pública Federal, que teria sido responsável por umaeconomia de R$ 50 bilhões aos cofres públicos em 2003, sofra com reflexos de cortes orçamentários e uma política queconsideram de falta de incentivo para o preenchimento de cargos públicos. ?O setor permitiu um aumento da arrecadaçãofazendária em R$ 7 bilhões no ano passado?, contou Edson Soares da Costa, dirigente do Sindicato Nacional dos Procuradoresda Fazenda Nacional (Sinprofaz), presente ao ato, em solidariedade aos defensores e advogados.?Várias entidades de classe estão mobilizadas para cobrar do governo federal uma atuação firme, de comprometimento com oserviço público de qualidade?, prosseguiu Costa.Para Alvaro Luís Pereira Nunes, representante da União Nacional dos Advogados da União (Uniagu), o mais alarmante é aevasão nos quadros da Advocacia Pública nos últimos anos, por causa do aviltamento dos salários. ?Para cada grupo de 400aprovados e nomeados em concursos públicos, apenas 260 tomam posse. E em pouco tempo, outra parcela expressiva deixa aAdvocacia, trocando-a pela função de juiz federal ou procurador da República.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.