Advogado tenta explicar como Yeda adquiriu casa

O advogado Paulo Olímpio Gomes de Souza, que representa a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), apresentou ontem a deputados da base aliada documentos bancários e comprovantes de pagamentos sobre a compra da casa que a tucana realizou no dia 6 de dezembro de 2006. A aquisição é alvo de pedido de investigação por partidos de oposição no Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas. O advogado disse que atendeu a um convite do chefe da Casa Civil, José Alberto Wenzel, para "elucidar dúvidas" sobre a operação, já que houve recurso contra decisão do presidente da Assembléia, Alceu Moreira (PMDB), que arquivou pedido de impeachment da governadora. Olímpio representa Yeda e seu marido, Carlos Crusius, para fornecer dados ao Ministério Público Especial, que recebeu representações do PT, do PSOL e do PV pedindo investigação sobre o negócio. De acordo com o advogado, a governadora reuniu recursos para o pagamento de R$ 550 mil no ato da compra com a venda de dois imóveis e um carro. SILÊNCIOUma semana depois de dizer que tem conhecimento de pessoas de dentro e de fora do governo de Yeda que também participaram ou souberam do desvio de R$ 44 milhões do Detran, o empresário Lair Ferst optou pelo direito constitucional ao silêncio ao prestar depoimento à Polícia Federal, ontem. Ele disse que ficou calado seguindo "estratégia da defesa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.