Advogado reclama acesso a papéis

O criminalista Roberto Podval, defensor da Home Care e dos proprietários da empresa, Renato Pereira Júnior e Marcos Agostinho Paioli Cardoso, diz não ter tido acesso aos documentos, planilhas e manuscritos obtidos pelo Estado. "Esse material não foi anexado aos autos e espero que isso seja feito em breve", assinalou o advogado. Podval disse desconhecer qualquer tipo de doação feita pela empresa ou por seus sócios a candidatos a cargos no Executivo ou no Legislativo nas eleições municipais deste ano. "Nos próximos dias devo conversar com os meus clientes sobre esse assunto".Diante do indeferimento do pedido de habeas corpus feito ao Tribunal de Justiça de São Paulo, o advogado pretende convencer o Superior Tribunal de Justiça (STJ) de que não há necessidade de manter os acusados presos. "A prisão deles está sustentada na possibilidade de coação de testemunhas. O fato é que a maioria é de policiais civis e, portanto, esse argumento não tem sentido", argumentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.