Advogado quer usar Pedrinho para inocentar Vilma

O menor Pedro Braule Pinto, o Pedrinho, será a principal arma dos advogados da ex-empresária Vilma Martins Costa para inocentá-la da acusação de seqüestro. Pedrinho foi raptado de uma maternidade de Brasília há 16 anos pela própria Vilma, segundo o irmão dela, Sinfrônio Martins, que depôs hoje na Justiça de Goiânia.Além dele, Gabriela Azeredo Borges, neta do ex-marido da empresária, Osvaldo Borges, confirmou que ouvira da mulher a confissão para uma amiga de que havia feito laqueadura há 20 anos, quase cinco antes do aparecimento do menor.O depoimento de Gabriela e sua avó, Cleunísia Amélia de Oliveira ? ex-mulher de Osvaldo ? foram na qualidade de informantes, já que a advogada de defesa de Vilma, Rosângela Magalhães alegou que ambas tinham interesses contrários à sua cliente, como as relacionadas à herança.A estratégia da defesa é tentar com que o depoimento de Pedrinho, marcado para 6 de junho, sensibilize os juízes, já que Sinfrônio Martins confirmou que a ex-empresária teria mesmo raptado a criança. Martins levou Vilma a Brasília, de onde saiu com um bebê. "Ela não quis falar o que era, mas fomos brigando toda a viagem", assegurou Martins, que pediu para depor sem a presença da irmã. A presença de Vilma causou um pequeno tumulto na entrada do Fórum de Goiânia, onde aconteceram os depoimentos. A empresária chegou após a saída do irmão, em uma cadeira de roda. Na terceira fileira do plenário do júri, estavam as filhas Christianne Michelle e Roberta Jamilly ? que também não é filha biológica da ex-empresária.Durante alguns momentos, a empresária ensaiou um choro, principalmente quando estava ouvindo o depoimento de Cleunísia. Tomou remédios e pediu para sair alegando mal-estar. No entanto, e médica que a atendeu afirmou que a pressão e estado de saúde dela estavam normais.A empresária saiu da sessão jogando beijos para as filhas e afirmando que as amava.Depois disso, o juiz permitiu que Christianne e Roberta conversassem com a mãe por dois minutos, tempo em que Vilma soube que sua casa tinha sido assaltada pela manhã. Ladrões roubaram o carro das filhas e diversos eletrodomésticos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.