Advogado que atuou contra Al-Qaeda deve ser escolhido para caso Maluf

A Advocacia Geral da União (AGU) deve aprovar nos próximos dias, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, a contratação do advogado britânico que vai trabalhar para a repatriação de divisas remetidas ilegalmente, segundo a Procuradoria Geral da União (PGU), pelo ex-prefeito Paulo Maluf ao paraíso fiscal de Jersey, no Reino Unido. Conforme apurou o repórter Jander Ramon, o escolhido deve ser o britânico Andrew Witts.Andrew Witts é um advogado de reconhecida reputação, com destaque em seu currículo para a recuperação de dinheiro desviado à organização terrorista saudita Al-Qaeda pelo antigo paquistanês Bank of Credit and Commerce International (BCCI), instituição fechada em 1991 após denúncias de desvios de bilhões de dólares das contas de seus correntistas.O diretor do Departamento Judicial Internacional e de Recuperação do Patrimônio da União da PGU, Milton Nunes Toledo Junior, disse que a contratação depende apenas da aprovação do escolhido pelo advogado-geral da União, Álvaro Augusto Ribeiro Costa. "O processo de contratação está em fase final e em breve teremos iniciada a ação civil lá no Reino Unido", informou Toledo Júnior em sua palestra no seminário "Combate à Fraude, à Lavagem de Dinheiro e Recuperação de Ativos Ilícitos", em São Paulo.A prefeitura paulistana e a AGU firmaram parceria em maio desse ano para a contratação do escritório no Reino Unido, na tentativa de recuperar divisas do País. Toledo Júnior justificou a demora na contratação à burocracia do governo federal, negando qualquer interferência política por conta do período eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.