Advogado prega ''corrente de resistência''

O advogado e professor René Ariel Dotti pregou ontem "uma corrente de resistência" em defesa do Estado. "Sofri um choque por ver que na democracia e no Estado de Direito há a reencarnação da ditadura militar ", protestou Dotti, reconhecido por sua atuação contra o arbítrio nos anos de chumbo.Professor titular de Direito Penal e de Direito Processual Penal da Universidade Federal do Paraná, ele apontou "a desconsideração por parte da decisão do magistrado (Dácio Vieira) da proporcionalidade de interesses em jogo, ou seja, o interesse da proteção da intimidade de direitos da personalidade, entre eles o da vida privada, e o interesse público visado pela informação".Dotti analisa a demanda entre Fernando Sarney e o Estado. "Entra aqui a vida privada, mas é assunto de interesse público. Esse conflito jamais poderia ter sido resolvido em favor dele (Sarney), mas da população que tem direito a receber a informação." Em 1991 ele participou com o advogado Manuel Alceu Affonso Ferreira, do Estado, da comissão formada pela Ordem dos Advogados do Brasil para tratar da Lei de Imprensa.Dotti disse não temer que a censura volte em larga escala. "Esse malsinado precedente não pode adquirir força de convencimento, assumir um tipo de jurisprudência. Vamos formar uma corrente de resistência pelo Estadão."

Fausto Macedo, O Estadao de S.Paulo

12 de agosto de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.