Advogado pede despejo e prisão de sem-terra no Pontal

O advogado Coraldino Vendramini entrou nesta segunda-feira com pedido de reintegração de posse da fazenda São Domingos, em Sandovalina, Pontal do Paranapanema, invadida no dia 29 por 1.200 militantes do Movimento dos Sem-Terra (MST). O pedido deve ser analisado na terça pelo juiz Francisco José Dias Gomes, do fórum distrital de Pirapozinho, cidade da região. O processo foi feito em nome dos arrendatários da fazenda que tiveram suas plantações destruídas pelos invasores. O advogado informou que vai protocolar nesta terça-feira, na Delegacia de Polícia de Sandovalina, um requerimento pedindo a abertura de inquérito contra os líderes do MST por formação de quadrilha, danos e esbulho possessório. Ele espera que a autoridade policial peça a prisão temporária dos líderes. Na segunda-feira, os sem-terra iniciaram o plantio de mandioca na área de onde fora removida a cultura de sorgo, pertencente aos arrendatários. Foram usados dois tratores com arados e grades para cortar a plantação e revolver a terra. A área gradeada atingia aproximadamente 25 hectares no início da tarde. "Tiramos a comida de uns poucos bois para plantar comida de gente", disse o coordenador Laércio Barbosa. Segundo ele, o plano é plantar outros alimentos, como o feijão, no restante da área que ainda tem sorgo. O líder disse que, no caso de ser concedida a reintegração, a ordem judicial será acatada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.