Advogado entra com ação popular no STF contra CPMF

Um advogado entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que seja decretada a inconstitucionalidade da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e, também, que seja suspensa a prorrogação do imposto. O advogado paulistano Ursulino dos Santos Isidoro considerou como "obrigação moral" a ação popular que ele solicitou ao Supremo.Ele informou também que o relator da ação é o ministro Ricardo Lewandowski. "Espero ter atendido ao pleito de toda a população brasileira, que não se conforma com tanta ilegalidade", disse. "Não faz sentido o presidente Luiz Inácio Lula da Silva querer prorrogar, pois essa arrecadação tem caráter improrrogável", acrescentou Isidoro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.