DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Advogado de Temer diz 'rezar' para ter convencido deputados da CCJ

Antonio Cláudio de Mariz continua alegando que peça da PGR é uma 'obra de ficção'; relatório apresentado hoje na CCJ por Sergio Zveiter (PMDB-RJ) defende a aceitação da denúncia contra Temer

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

10 Julho 2017 | 20h32

BRASÍLIA - Após o relator Sergio Zveiter (PMDB-RJ) apresentar o seu parecer pela admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer, o advogado Antonio Cláudio Mariz de Oliveira disse "rezar" para que os deputados acreditem em seus argumentos e votem contra o relatório.

"Eu aposto, torço, rezo para que a minha fala supere o relatório", disse após deixar a sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Zveiter apresentou seu relatório nesta segunda-feira, 10, defendendo a admissibilidade da denúncia contra Temer. Mariz fez uma sustentação oral logo após o parecer ser lido na comissão. 

Segundo o advogado, a estratégia de defesa não muda após o revés na CCJ, e ele vai continuar defendendo que a peça produzida pela Procuradoria-Geral da República é uma obra de "ficção". "Não é possível que se queira processar o presidente da república, o presidente de 200 milhões de brasileiros, através de alegações fruto de mera ilação, ficção mesmo, suposições e hipóteses", afirmou.

Mariz afirmou ainda que respeitava o parecer de Zveiter, mas que não concordava em "nada" com ele. Em seu relatório, o deputado afirmou que a denúncia não era nem "inepta" nem "fantasiosa".

O advogado também defendeu que o melhor seria que o plenário da Câmara deliberasse sobre a denúncia ainda em julho. "Esse verdadeiro dilema que se encontra o País precisa ter um término rápido. O Brasil precisa andar, nós não podemos ficar andando em torno da Lava Jato, de delação, etc." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.