Advogado de Dantas diz que parede falsa é 'armação da PF'

Segundo Gustavo Teixeira, informação 'tem o intuito de fundamentar novo pedido de prisão do banqueiro'

Fausto Macedo, de O Estado de S. Paulo,

16 de julho de 2008 | 10h58

O advogado criminal Gustavo Teixeira, da equipe de defesa do banqueiro Daniel Dantas, rebateu nesta quarta-feira, 16, a informação divulgada pela Polícia Federal, segundo a qual foram encontrados DVDs e CDs em uma parede falsa no apartamento do controlador do Grupo Opportunity durante as buscas feitas na terça-feira da semana passada, parte da Operação Satiagraha.    Veja também: Presidente do STF justifica libertação de Dantas  Opine sobre nova decisão que dá liberdade a Dantas  Entenda como funcionava o esquema criminoso  Veja as principais operações da PF desde 2003  As prisões de Daniel Dantas   "É uma armação da PF, certamente com o intuito de fundamentar novo pedido de prisão preventiva de Dantas", disse Teixeira. Segundo investigadores da operação, o material recolhido aponta a existência de planilhas com nomes de autoridades e valores que teriam sido repassados a elas.   Teixeira disse que acompanhou as buscas da PF no apartamento, no Rio, do início ao fim. Segundo ele, o auto de exibição e apreensão lavrado pela PF registra 74 itens.   O advogado negou também que entre os documentos que a PF alega ter recolhido exista uma planilha com dados sobre supostas contribuições para o "clube". "Quero verificar esse documento", pediu Teixeira, dizendo estar convencido de que muitas informações divulgadas pela PF "são inverdades".   Daniel Dantas prestará depoimento sobre as acusações nesta quarta-feira, na sede da Polícia Federal em São Paulo. O depoimento do banqueiro estava inicialmente previsto para as 14 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.