JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Advogado de Cerveró é transferido para presídio

Edson Ribeiro foi preso nesta sexta-feira no Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim ao sair do avião em que chegava dos Estados Unidos

Fábio Grellet e Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

27 Novembro 2015 | 20h46

RIO - O advogado Edson Ribeiro, de 58 anos, preso na manhã desta sexta-feira, 27, pela Polícia Federal no Rio de Janeiro, foi transferido por volta das 20 horas desta sexta da sede da Polícia Federal no Rio, no centro da cidade, para o presídio Ary Franco, em Água Santa (zona norte). Nessa unidade ele deve passar por triagem e em seguida ser encaminhado para um dos presídios do complexo de Bangu, na zona oeste.

Ribeiro foi preso no Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (Ilha do Governador, na zona norte do Rio), ao sair do avião em que chegava dos Estados Unidos. O nome dele havia sido incluído na lista de difusão vermelha da Interpol, que relaciona foragidos da polícia em todos os continentes. 

Advogado do engenheiro Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobrás preso em Curitiba por envolvimento em ações de corrupção na petroleira, Ribeiro teve a prisão decretada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na quarta-feira, 25.

Ele é um dos participantes da conversa gravada por Bernardo, filho de Cerveró, em que, com o senador Delcídio Amaral (PT-MS), também preso, tramava a fuga do País do ex-diretor da Petrobrás. No depoimento, de cerca de três horas, prestado na Superintendência da PF no Rio, Ribeiro alegou inocência, de acordo com seu advogado, Carlo Luchione. O defensor de Cerveró é acusado de ter se associado ao senador petista e ao banqueiro do BTG Pactual, André Esteves, também preso na quarta-feira, para tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.