Advogado de caseiro pede inquérito sobre quebra de sigilo

O advogado Wlício Chaveiro Nascimento, entregará na tarde desta segunda-feira ao procurador-geral do Distrito Federal, Rogério Schiette, uma representação pedindo ao Ministério Público a imediata instauração de inquérito policial para identificar os responsáveis pela quebra de sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa. Depois de prestar depoimento à CPI dos Bingos, confirmando que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, freqüentava a casa alugada por amigos de Ribeirão Preto, Francenildo teve seu sigilo quebrado, com a publicação do saldo de sua conta poupança na revista Época."Nesse sentido, é imperioso reconhecer que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil forneçam informações - sobretudo documentais - de quem teve o acesso às informações bancárias do noticiante, bem como de que forma, onde e quando conseguiram essas informações e a quem foram repassadas, além da revista Época", afirma o advogado em sua representação.No final da manhã, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse que a quebra do sigilo bancário do caseiro "é uma violação grave e que será apurada"."O vazamento de informação é uma praga terrível que deve ser combatida. Por enquanto, não posso afirmar que houve falhas", disse Bastos.A divulgação ilegal do extrato bancário pôs em xeque a Polícia Federal e o Ministério da Fazenda, já que os registros da conta do caseiro na Caixa Econômica Federal foram acessados sem o consentimento dele, exatamente no horário em que o rapaz estava na Polícia Federal tratando de sua proteção pessoal: às 20h58 de quinta-feira passada, dia 16.Texto atualizado às 14h35

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.