Advogado critica decisão de manter Battisti preso

O advogado Luís Roberto Barroso, advogado do ex-ativista italiano Cesare Battisti, criticou, em nota, a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, que decidiu manter o italiano preso. "A manifestação do presidente do Supremo, sempre com o devido e merecido respeito (afirmação que é sincera e não meramente protocolar), constitui uma espécie de golpe de Estado, disfunção da qual o País acreditava já ter se libertado", afirmou.

AE, Agência Estado

06 de janeiro de 2011 | 21h10

De acordo com ele, "não está em jogo o acerto ou desacerto político da decisão do Presidente da República, mas sua competência para praticá-la". "Trata-se de ato de soberania, praticado pela autoridade constitucionalmente competente, que está sendo descumprido e, pior que tudo, diante de manifestações em tom impróprio e ofensivo da República italiana."

Segundo Barroso, "em uma democracia, deve-se respeitar as decisões judiciais e presidenciais, mesmo quando não se concorde com elas". Peluso rejeitou o pedido dos advogados de Battisti para que ele fosse solto, já que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em seu último dia de governo, decidiu que o ex-ativista não deveria ser extraditado para a Itália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.