Advogado afirma que parecer buscou ''interesse público''

Vicente Cascione, advogado de Fabrizio Pierdomenico, negou veementemente lobby de seu cliente. Ele lembrou que deram suporte à medida da Codesp pareceres da Advocacia-Geral da União, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários e de outros setores do governo. "Não houve lobby nenhum, mas a opinião que tinha de ser dada em parecer de um diretor em busca do melhor para o interesse público. O Ministério dos Transportes autorizou o TPU. A direção da Codesp agiu à luz da lei e da praxe. Nenhum concorrente tentou impedir a providência. O cais estava afundando, a Santos Brasil sofreu prejuízos enormes."Cascione citou relatório da agência de transportes, subscrito por José Guimarães Barreiros. "Na esteira do entendimento da procuradoria, voto no sentido de manter o TPU."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.