Advocacia Geral tenta acabar na Justiça com greve da PF

A Advocacia Geral da União (AGU) encaminhou hoje ações à Justiça Federal de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Pernambuco pedindo que seja determinado aos grevistas que voltem a trabalhar. As ações são parte da estratégia de recorrer ao Judiciário para tentar acabar com a paralisação dos policiais federais. Nas ações, a AGU argumenta que a paralisação é ilegal, abusiva e causa prejuízos ao patrimônio e à ordem pública e administrativa. Os advogados da União sustentam que o direito de greve não pode ser exercido pelos funcionários públicos porque ainda não foi regulamentado por uma legislação específica. Se a Justiça ordenar o fim do movimento e os grevistas descumprirem a determinação, a AGU pede que seja aplicada multa diária de R$ 60 mil a ser paga pelos sindicatos da categoria. Advogados da União também estão preparando uma ação para cobrar na Justiça a reparação dos danos causados pela greve dos policiais federais. Não há previsão de quando essa ação será protocolada no Judiciário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.