Adiamento da votação da CSS é 'natural', diz Bernardo

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, considerou hoje natural o adiamento para terça-feira da votação da Contribuição Social para a Saúde (CSS) na Câmara dos Deputados. "O projeto da CSS não é simples. O adiamento é natural e faz parte do processo legislativo", declarou Bernardo, salientando que "o Congresso tem seu ritmo próprio".O ministro do Planejamento reconheceu existirem parlamentares governistas que não apóiam a criação da CSS. Indagado se a nova CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) é imprescindível para o governo, reafirmou que o Executivo não propôs a contribuição, que, segundo ele, é uma iniciativa exclusiva do Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.