Adiado julgamento do maníaco do parque

Foi adiado para outubro o julgamento do maníaco do parque, Francisco de Assis Pereira, marcado para hoje. Ele responderia pelo assassínio Patrícia Gonçalves Marinho, uma das nove mulheres estranguladas e violentada por ele em 1998, nas matas do Parque do Estado. O adiamento ocorreu a pedido da defesa, que quer a degravação de uma fita, contendo entrevista do maníaco ao uma emissora de televisão, na qual ele confessa haver matado 15 mulheres. Pelo mesmo motivo dois outros júris já foram adiados, referentes à morte de Raquel Mota Rodrigues e da balconista Selma Ferreira Queiroz. O maníaco já foi condenado a 120 anos por estupro, atentado violento ao pudor e roubo, crimes praticados contra nove mulheres que sobreviveram ao seus ataques. A pena posteriormente foi reduzida para 104 anos. O maníaco está preso em penitenciaria de segurança máxima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.