Adiada conclusão de votação da reforma eleitoral

Senador Álvaro Dias responsabilizou José Sarney pela não conclusão da votação

Eugênia Lopes, de O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 15h46

Ficou para a próxima semana, provavelmente terça-feira, a conclusão da votação proposta que altera a legislação eleitoral regra eleitoral para 2010. Inicialmente, os senadores tinham previsto concluir a votação na manhã de hoje o que não ocorreu porque o plenário do Senado já estava reservado para sessão em homenagem à Associação dos Magistrados Brasileiros. A sessão foi remarcada para esta tarde mas nenhum dos relatores da proposta - Marco Maciel (DEM-PE) e Eduardo Azeredo (PSDB-MG) - compareceram ao plenário para dar continuidade à votação.

 

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) responsabilizou o presidente do Senado pela não conclusão da votação. É que na sessão de ontem, Sarney deixou o comando da sessão e subiu à tribuna do plenário para pedir a retirada da proposta que determinava a obrigatoriedade de realização de uma nova eleição para os governadores e prefeitos que tiverem os mandatos cassados, nos dois primeiros anos de governo, pela Justiça Eleitoral.

 

Em abril deste ano, a ex-senadora Roseana Sarney (PMDB), filha de Sarney, assumiu o governo do Maranhão, depois que a Justiça Eleitoral cassou o mandato do governador eleito Jackson Lago (PDT).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.