Adesões a nova CPI surpreendem governistas

Os líderes dos partidos que dão sustentação ao governo entraram hoje em ação para impedir que a oposição consiga reunir 27 assinaturas de senadores em favor da criação da CPI da Corrupção. Surpreendido com a adesão dos tucanos do Paraná, senadores Álvaro Dias e Osmar Dias, à proposta da oposição, o líder do PSDB no Senado, Sérgio Machado (CE), acionou o sinal de alerta para evitar novas surpresas. Mesmo assim, os governistas não conseguiram impedir que o ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, assinasse o requerimento. Ele reassumiu sua cadeira no Senado, saiu do PMDB e ingressou no PTB.A decisão de Bezerra foi tomada horas depois de o presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), fazer um balanço da situação com os líderes do PSDB e PMDB. O líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), disse que está conversando com os senadores, mas que não pretende criar constrangimentos. O senador Jader Barbalho, que assinou o requerimento anterior, disse que não assinará o novo. Já o senador peemedebista Casildo Maldaner (SC) informou que deverá manter a posição anterior, ou seja, assinar a proposta da oposição.O que está dificultando o trabalho dos governistas é o sigilo com que o senador José Eduardo Dutra (PT-SE) vem mantendo em relação ao nome dos senadores que já subscreveram o documento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.