Wilton Junior/ Estadão
Wilton Junior/ Estadão

Adesivos e panfletos são apreendidos em ato em defesa de Lula

Equipe do TRE aprendeu material de divulgação de políticos em festival na Lapa, região central do Rio de Janeiro

Fernanda Nunes e Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

28 Julho 2018 | 22h07

RIO - Terminou por volta de meia noite e meia deste domingo, 29, com shows de Chico Buarque e Gilberto Gil, o ato de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Operação Lava Jato. O Festival Lula Livre reuniu militantes desde o início da tarde de sábado, 28, com apresentações de diversos artistas, na Lapa, na região central do Rio. Ainda de tarde, um grupo uniformizado com coletes de identificação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) apreendeu material de divulgação de políticos.

A equipe do TRE-RJ recolheu adesivos e panfletos, como mostram imagens divulgadas nas redes sociais. Alguns fiscais ainda filmaram o local em seus celulares e deixaram o local sob protesto do público do evento. Os vídeos mostram a indignação do público com o recolhimento do material de divulgação de políticos. No momento em que a ação ocorreu, os shows ainda não tinham começado e o número de pessoas presentes à Lapa ainda era pequeno. 

Em uma das imagens divulgadas no Facebook, um manifestante pede a identificação dos homens uniformizados, mas não recebe uma resposta. Procurada, a assessoria de imprensa do TER-RJ não respondeu para confirmar a ação durante o evento e a justificativa do recolhimento dos adesivos e panfletos. 

O show-ato começou às 17 horas, nos Arcos da Lapa, um dos pontos turísticos da cidade. Segundo a organização do evento, 42 músicos e bandas, passaram pelo palco. Além de Chico e Gil, a cantora Beth Carvalho se apresentou. Sozinho ao violão, Chico cantou "Gota d'água", "As caravanas" (de seu mais recente álbum, lançado ano passado) e "Deus lhe pague". Ao lado de Gil, Chico interpretou "Cálice". 

Acompanhado de banda, Gil, que foi ministro da Cultura de Lula, tocou "Maracatu atômico", de Nelson Jacobina e Jorge Mautner, e "Andar com fé". Juntos, Gil e Chico ainda interpretariam "Aquele abraço", do compositor baiano. No encerramento, ao lado de Beth Carvalho, os dois ainda cantaram o samba "Deixa a vida me levar", de Serginho Meriti e Eri do Cais, famoso na voz de Zeca Pagodinho, quando o palco foi tomado por vários artistas que se apresentaram ao longo do evento.

Na plateia, estavam presentes a presidente do PT, a senadora Gleise Hoffmann (PR), ao lado do senador fluminense Lindbergh Farias e da pré-candidata ao governo do Rio pelo partido, Marcia Tiburi. 

No início da tarde, a atriz Lucélia Santos fez um discurso em defesa da liberação de Lula e também da sua participação nas eleições presidenciais deste ano. Segundo a atriz, o evento é "um gesto de exigência para que se respeite a Justiça, pilar de qualquer sistema minimamente democrático". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.