Acusado por crime, Palocci será processado no STF

Em 2005, o então ministro da Fazenda foi acusado de receber R$ 50 mil por mês de empresa em Ribeirão Preto

Carina Urbanin, da AE

01 de julho de 2008 | 20h43

O deputado federal e ex-ministro da Fazendo Antonio Palocci (PT-SP) será processado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), acusado por prática de crimes de quadrilha ou bando, falsificação de documento público e lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores, durante sua administração na prefeitura de Ribeirão Preto, SP. A denúncia partiu da Procuradoria Geral da República (PGR) e foi acatada pelo STF.   De acordo com o ministro Joaquim Barbosa, relator da matéria no tribunal, pela prerrogativa de função, em razão do cargo, dos envolvidos no caso, apenas Palocci será processado pelo STF. Os outros nove indiciados devem ser julgados pela Justiça comum.   Em 2005, o então ministro da Fazenda foi acusado por um ex-assessor de receber R$ 50 mil por mês da empresa Leão&Leão, responsável pela coleta de lixo em Ribeirão Preto (SP), na década de 90, quando Palocci ainda era prefeito da cidade. Segundo depoimentos veiculados pela imprensa à época, o dinheiro seria usado como caixa dois de campanha de candidatos do PT. As informações são do STF.

Tudo o que sabemos sobre:
Antonio PalocciSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.