Acusado pede no TRF anulação da Castelo de Areia

Kurt Paul Pickel, que a Polícia Federal acusa de ser doleiro da Camargo Corrêa, requereu em habeas-corpus ao Tribunal Regional Federal (TRF) anulação de toda a Operação Castelo de Areia. Seus advogados, os criminalistas Alberto Zacharias Toron, Carla De Domenico e Claudia Maria Bernasconi, alegam que a investigação foi realizada ?apenas com base em denúncia anônima, de forma desmotivada e ilegal?.

AE, Agencia Estado

29 de abril de 2009 | 09h43

A denúncia que chegou à PF ?deu conta de que Kurt Pickel estaria se dedicando à atividade de compra e venda de dólares no mercado paralelo, sem qualquer respaldo, envolvido na prática de delitos contra o sistema financeiro e, provavelmente, de lavagem de dinheiro?. Os advogados alegam que a partir da acusação foi dado ?acesso irrestrito a dados cadastrais de usuários e assinantes de todas as companhias telefônicas por tempo indeterminado? e autorizada ?interceptação telefônica por prazo 28 vezes superior ao que determina a lei?.

Segundo a defesa, o juiz Fausto De Sanctis ?decretou a prisão preventiva, medidas de buscas, quebra de sigilo e bloqueio de bens com base em prova imprestável, originada em denúncia anônima?. Os advogados juntaram decisões do TRF e dos tribunais superiores que condenaram ações amparadas em relatos anônimos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PFOperação Castelo de AreiaTRF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.