Acusado de mandar matar cacique Chicão se suicida na cadeia

Acusado de mandante do assassinato do líder indígena da tribo xucuru, Francisco de Assis Araújo, o cacique Chicão, o fazendeiro José Cordeiro de Santana, 65 anos, suicidou-se no domingo na cela que ocupava na Polícia Federal, no Recife. Ele estava preso desde o dia 9 cumprindo mandado de prisão preventiva expedido pela justiça federal. Chicão lutava pelo direito do índio à terra e pela remoção dos grileiros e posseiros da reserva xucuru em Pesqueira, no agreste. Ele foi morto a tiros há quatro anos, em 20 de maio de 1998.José Cordeiro de Santana, conhecido como Zé de Riva, tinha fazendas dentro da área indígena. A reserva xucuru tem 27,5 mil hectares, mas os índios ocupam apenas 15% da área. O restante está sob domínio de posseiros.Segundo nota da Polícia Federal distribuída hoje, o policial de plantão na carceragem chamou Zé de Riva repetidas vezes para receber a alimentação ontem às 17h30. Como não obteve resposta e não o viu na cela, pensou em fuga e chamou outros dois agentes de plantão e entraram na cela. Eles o encontraram enforcado no sanitário. O preso usou um lençol que amarrou no registro de ferro do chuveiro.Peritos da Polícia Federal, do Instituto Médico Legal (IML) e Instituto de Criminalística (IC) fizeram exames no local e o corpo foi levado ao IML para exame necroscópico. A PF instaurou inquérito para apurar as circunstâncias da morte.De acordo com a nota da PF, ele havia almoçado e recebido a medicação contra hipertensão. Dois presos que ocupavam celas vizinhas disseram não ter percebido nada de anormal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.