Acusado de crime na Baixada pode ser expulso do PSD

O presidente regional do PSD-RJ, Indio da Costa, vai convocar os 14 membros da Executiva Regional para designar um relator para o processo disciplinar aberto contra Ivaldo Barbosa dos Santos, o Timor, prefeito de Japeri, na Baixada Fluminense. Candidato à reeleição, ele pode ser expulso do partido após ser acusado pela Polícia Civil de ser o mandante do assassinato de um adversário político. Timor será intimado a se defender antes da decisão da legenda. O crime foi cometido em maio de 2011, mas o suposto envolvimento do prefeito no crime só veio à tona na última terça-feira, após reportagem exibida pela TV Globo.

MARCELO GOMES, Agência Estado

20 de setembro de 2012 | 18h41

Durante as investigações do homicídio, a polícia apreendeu um pen drive que continha imagens dos vereadores José Alves do Espírito Santo e José Valter de Macedo recebendo maços com notas de R$ 50 das mãos do prefeito. Para a polícia, os dois recebiam propina de Timor para não abandonarem a base do governo na Câmara de Vereadores da cidade, localizada a 70 quilômetros da capital. O PSB também instaurou processo disciplinar contra a dupla, que será intimada a se defender. Membros da Executiva Regional, porém, dão como certa a expulsão deles.

Caso sejam expulsos de seus partidos antes das eleições, marcadas para 7 de outubro, os três não poderão disputar o pleito. Todos negam as acusações.

O Ministério Público do Rio (MP-RJ) informou que o gabinete do procurador-geral de Justiça, Cláudio Lopes, recebeu na quarta-feira cópias do inquérito que apurou o assassinato do comerciante André da Silva Conceição, então com 39 anos, que teria sido morto a mando de Timor. Por ser prefeito, ele tem foro privilegiado e só pode ser investigado por Lopes. O mesmo acontece com os dois vereadores, já que o benefício é previsto em lei estadual.

Os dois vereadores estiveram nesta quinta-feira na Câmara. Em discursos no plenário da Casa, disseram que o dinheiro que receberam de Timor (R$ 6 mil cada um, segundo eles) era para pagamento de dívidas.

Tudo o que sabemos sobre:
Baixadacrimeprefeito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.