Acusado de corrupção, prefeito do PT é solto no Amapá

Há cinco dias na carceragem da Polícia Federal no Amapá, o prefeito reeleito de Macapá, João Henrique Pimentel, foi solto às 22h15 (horário de Brasília). Ele não quis dar entrevistas. "Agora eu só quero abraçar meu povo", disse ele esquivando-se dos jornalistas. Uma entrevista coletiva foi marcada para a próxima quarta-feira. João Henrique deixou a sede da PF pela porta de frente e foi recebido por centenas de militantes do PT que festejaram sua liberdade carregando-o, soltando fogos e cantando as músicas da campanha. O prefeito foi indiciado pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva, desvio de verbas públicas e fraudes em licitações. De acordo com o superintendente da PF no Amapá, delegado Aldair da Rocha, ele colaborou bastante em seu depoimento, passando à PF "grandes informações". Continuam presos os empresários Eduardo Correa e Francisco Leite, sócios da Método Norte Engenharia, Giovane Coleman, secretário municipal de obras, e Rodolfo Juarez, presidente da Companhia das Docas de Santana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.