Acusado de corrupção, prefeito de Senador Pompeu-CE foge em ônibus junto com funcionários da Prefeitura

Antônio Teixeira de Oliveira (PT) deixou a cidade em um veículo alugado, com outros 36 suspeitos

Lauriberto Braga, especial para o Estado de S. Paulo

22 de junho de 2011 | 18h06

FORTALEZA - O prefeito de Senador Pompeu, no Ceará, Antônio Teixeira de Oliveira (PT), está foragido desde o último domingo, 19, quando deixou a cidade em um ônibus alugado levando outros 36 suspeitos de corrupção. A Justiça cearense fez o pedido de prisão preventiva deles, mas até agora somente um funcionário da Prefeitura foi preso.

 

O prefeito, vice-prefeito, secretários e assessores são acusados pelo desembargador Darival Bezerra de fraude em licitações, desvio de dinheiro público, envolvimento em crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores, falsidade ideológica, peculato e formação de quadrilha. Além da prisão, o magistrado determinou o afastamento de Antônio Teixeira de Oliveira, do vice Luís Flávio Mendes de Carvalho, e do vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Tárcido Francisco de Lima Baia.

 

Conforme a representação criminal feita pelo Ministério Público eles cometeram em 2008 desvio de recursos públicos, pagamentos indevidos, emissão de cheques para pagamentos de empresas não idôneas que fornecem notas fiscais frias e outras "condutas criminosas", causando "dano de grande monta ao erário municipal".

 

O clima em Senador Pompeu, a 275 quilômetrosde Fortaleza, é de incerteza. Os moradores fazem plantão em frente ao Paço Municipal, que está fechado. O petista foi reeleito em 2008 com a promessa de fazer um novo mercado público e um calçadão próximo a linha férrea. As obras estão paradas. O presidente da Câmara, vereador Ibervan Ramos, está só esperando a determinação judicial para assumir. Ele está preocupado em logo nomear seu secretariado.

 

O advogado do prefeito, Paulo Quezado, afirmou que vai provar em juízo a inocência do gestor. Segundo Quezado, não houve desvio de verbas em Senador Pompeu. O advogado prometeu entregar o prefeito à Justiça na tarde desta quarta-feira, 22, mas até às 17 horas não tinha cumprido a promessa.

 

Antônio Teixeira sofre ameaça de expulsão do PT. A prefeita de Fortaleza e presidenta estadual do PT, Luizianne Lins, já foi comunicada do pedido, que foi encaminhado ao Conselho de Ética.

 

Três prefeitos eleitos em 2008 no Ceará estão afastados do cargo por improbidade administrativa. Além do prefeito de Senador Pompeu, o ex-prefeito de Alcântaras, Raimundo Gomes, foi cassado em 2010; e em Nova Russas, Marcos Alberto Torres é suspeito de enriquecimento ilícito.

 

Alcântaras teve eleições suplementares no dia cinco passado. Raimundo Gomes foi cassado em 2009 acusado de crimes eleitorais durante as eleições de 2008. Francisco Eliésio Fonteles (PSB) venceu a disputa de junho com mais de três mil votos. Em Nova Russas, Marcos Alberto foi preso pela segunda vez agora em junho. Ele é acusado pelo Ministério Público de liderar esquema de enriquecimento ilícito que desviou mais R$ 15 milhões do erário público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.