Reprodução
Reprodução

Acusado de ataque ao Porta dos Fundos, Eduardo Fauzi é expulso do PSL-RJ

Segundo o TSE, Fauzi era filiado ao partido desde 2001; ele está na Rússia e é alvo de um pedido de prisão

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2020 | 17h12

RIO – Acusado de participar do ataque à produtora do Porta dos Fundos, Eduardo Fauzi Richard Cerquise foi expulso do PSL carioca nesta segunda-feira, 6. Segundo o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ele era filiado à sigla desde 2001.

Além do PSL, Eduardo Fauzi também era filiado à Frente Integralista Brasileira (FIB). A entidade o expulsou de seus quadros na semana passada. 

O ataque à produtora aconteceu na madrugada do dia 24 de dezembro. No dia 30, a Polícia Civil tentou cumprir mandado de prisão contra Fauzi em quatro endereços ligados a ele no Rio de Janeiro, mas ele não foi encontrado. Depois, descobriu-se que o acusado embarcara para a Rússia um dia antes de sua prisão ser decretada.

Já na Rússia, Eduardo Fauzi divulgou um vídeo de pouco mais de sete minutos em que ataca o Porta dos Fundos e utiliza argumentos cristãos para chamar os humoristas de “intolerantes, marginais e bandidos”.

“A posição de tolerância, de se vestir pela pele do outro e buscar entender os problemas que o outro passa através da perspectiva dele, é tudo o que os tolerantes do Porta dos Fundos não têm. A tolerância deles é marketing”, disse. Ele usa a expressão “anauê”, saudação própria dos integralistas, grupo político de extrema direita. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.