Acusado de aliciamento pode se reeleger vereador

Há pouco mais de um ano, Luis César Lanzoni (PTB) era presidente da Câmara de Porto Ferreira, na região de Ribeirão Preto. Porém, desde o final de agosto de 2003, ele está preso. Lanzoni foi condenado a 45 anos por envolvimento com aliciamento de meninas em festas e orgias que ocorriam em ranchos do município.Mesmo encarcerado, contudo, Lanzoni poderá ser reeleito vereador em 3 de outubro, pois não tem condenação definitiva. Ele tem boas chances.O advogado e amigo de Lanzoni, Júnior Aparecido Marinho, é um dos que se manifestam publicamente sobre o ex-vereador. "Acho que o caso não foi conduzido de forma adequada, não houve direito de defesa, por isso eu o apóio e acredito que ele será eleito", explica Marinho, que publica, num jornal local, o "santinho" de Lanzoni, com a frase: "Você quer fazer parte da luta contra as injustiças? Vote Lanzoni!".Marinho afirma que Lanzoni é uma pessoa idônea e que houve aproveitamento político da situação pelos opositores. Não entra no mérito se ocorreu crime e se o amigo participou, apenas cita a condução do processo.Gilson Strozzi (PT), que era o vice de Lanzoni na Câmara mas saiu do cargo com a renúncia do ex-companheiro, também concorre à reeleição. Sobre a candidatura de Lanzoni, ele confirma que está mais forte do que as de muitos concorrentes. "Estão fazendo um trabalho grande, mas seria difícil para ele exercer a representatividade de um parlamentar longe do município", acrescentou.O promotor Cassio Roberto Conserino, que ofereceu as denúncias e acompanhou todo o caso de aliciamento das meninas, reconhece, pelos contatos em Porto Ferreira, que Lanzoni tem chances em 3 de outubro. "Acho que ele consegue se eleger", lamenta Conserino, lembrando que essa situação é estritamente eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.