Acuado, Jefferson fez teatro, diz advogado de Dirceu

O advogado José Luiz de Oliveira Lima atacou o presidente do PTB, Roberto Jefferson, durante a defesa do ex-ministro José Dirceu no processo do mensalão. Para ele, o petebista fez a denúncia por estar "acuado" por se ver envolvido em meio a denúncias de corrupção e fez "teatro" ao atacar Dirceu e cunhar o termo mensalão.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

06 de agosto de 2012 | 15h52

"Eu não quero desmerecer quem faz a acusação, mas vamos situar o momento em que Roberto Jefferson prestou aquele depoimento. Ele estava acuado por ter participação na corrupção nos Correios. É um homem eloquente, belo orador e conseguiu fazer um bom teatro. Por que teatro? Porque todas as acusações que Roberto Jefferson fez contra o meu cliente a prova destruiu", disse Lima.

Ele citou as acusações feitas por Jefferson, corroboradas pelo Ministério Público, e reafirmou não haver nos autos provas que incriminem o ex-ministro. Focou, principalmente, a acusação de compra de votos de parlamentares. Citou diversos depoimentos, entre eles o do atual ministro do Esporte, Aldo Rebelo, que atribuiu as vitórias do governo no Congresso na votação das reformas da Previdência e tributária a votos da oposição.

Lima rebateu ainda a acusação de corrupção ao destacar que na acusação o MP aponta a "compra de votos" apenas de parlamentares de outros partidos, deixando de fora deputados do PT. Ele destacou que o PL, atual PR, já tinha apoiado o presidente Luiz Inácio Lula da Silva desde a eleição, não havendo motivo para comprar votos, como não havia de deputados do PT.

O advogado concluiu em 45 minutos sua exposição pedindo a absolvição de Dirceu. "Peço a absolvição de José Dirceu porque ele é inocente. Dirceu é inocente. O pedido de condenação de José Dirceu foi o mais pérfido e mais atrevido e escandaloso ataque à democracia brasileira".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.