Acordo sobre Base da Alcântara não fere soberania, diz ministério

O Ministério da Ciência e Tecnologia rebateu nesta sexta-feira as afirmações da deputada Socorro Gomes (PC do B/PA), que classifica o contrato entre Brasil e Estados Unidos, permitindo o uso da Base de Alcântara (MA) para o lançamento de foguetes norte-americanos, de "sabotagem ao desenvolvimento tecnológico nacional". Em nota enviada à Agência Estado, o assessor de comunicação do ministério, Fernando Luz, diz que o "Brasil continua e continuará no controle total do Centro".Ele garantiu na nota que "quando os técnicos dos fabricantes norte-americanos dos foguetes (não o governo do EUA) estiverem em Alcântara, vigorarão medidas de segurança limitadas ao período de montagem do foguete, enquanto seu interior estiver exposto".A nota também nega que "não haverá inspeção da carga pela Receita Federal", que não será feita na fronteira, mas "dentro do Centro, uma vez que cargas deste tipo precisam ser examinadas por especialistas, em lugar apropriado, inclusive por questão de segurança".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.