Acordo com governadores é importante para reformas, diz Mantega

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, afirmou nesta quinta-feira que o apoio dado ontem pelos governadores às propostas de reforma previdenciária e tributária é fundamental para a aprovação das mesmas no Congresso. Na avaliação do ministro, a influência dos governadores sobre suas bancadas no Congresso será um elemento importante para a aprovação das reformas dentro do prazo estimado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre os meses de agosto e setembro. Segundo o ministro, a aprovação das reformas beneficiará tanto o governo federal quanto os governos estaduais. "Senti que os governadores têm pressa de votar as reformas", afirmou Mantega. De acordo com ele, a proposta de reforma previdenciária permitirá uma maior sutentabilidade da previdência no País, enquanto que a reforma tributária gerará uma maior eficiência da economia, com resultados de arrecadação melhores para Estados e a União. Com relação à taxação dos inativos, o ministro disse que não é possível antecipar as reações dentro da bancada de apoio do governo, mas lembrou que a proposta já vem sendo debatida pelo ministro da Previdência, Ricardo Berzoini.Mantega acredita que o clima positivo nos mercados financeiros deve continuar. "As notícias boas vão continuar fluindo". Apesar da queda expressiva da taxa de câmbio hoje, a avaliação de Mantega é de que o governo não deve se preocupar com esse movimento. "O câmbio encontrará o seu ponto de equilíbrio", afirmou. Segundo ele, a queda do dólar é um sinal positivo e que reflete um momento de confiança no País. Além disso, Mantega ressalta que a queda da taxa de câmbio poderá ter efeitos positivos sobre a inflação. Pelo lado das exportações, o ministro enfatizou que é ilusório acreditar que os exportadores têm trabalhado com projeção de câmbio entre R$ 3,20 e R$ 3,40. Para Mantega, o dólar no patamar atual não prejudica os exportadores e continua sendo atrativo.Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.