Acordo com a França faz Lula falar em 'potência militar'

Ao cimentar a parceria ?privilegiada? entre Brasil e França na área da Defesa, com a assinatura de dois acordos que podem somar US$ 8,3 bilhões, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva indicou seu objetivo de fazer do País uma potência militar - ao menos em termos regionais. Em discurso ao final da assinatura desses compromissos bilaterais, ao lado do presidente da França, Nicolas Sarkozy, Lula disse que a capacidade militar é a condição ?inexorável? para que um país ?se transforme em uma potência e seja respeitado no mundo inteiro?.?É preciso que o Brasil assuma a grandeza que Deus lhe deu quando criou o mundo e que os nossos diplomatas nos deram quando fizeram a divisão do espaço geográfico, no século passado?, afirmou Lula. ?É preciso que a gente tenha clareza de que dar importância às Forças Armadas significa dotar o Brasil de conhecimento tecnológico. É exatamente isso que a França oferece ao Brasil.?Lula deixou claro que o ambicionado poderio militar brasileiro não terá vocação para o ataque. Didático, demonstrou a necessidade de defesa de um ?País que tem a coragem e a capacidade de dizer não? e que conta com a Amazônia, com reservas de petróleo na sua plataforma continental, com 8 mil quilômetros de costa marítima e com boa parte da água doce do mundo. Conforme destacou, um país como esse ?não pode prescindir de estar altamente preparado? para a defesa.?Um Brasil poderoso será um elemento de estabilidade no mundo?, afirmou Sarkozy. ?Queremos que o Brasil possa ascender à governança mundial, queremos que a liderança do presidente Lula seja compreendida, assim como a nossa mensagem em favor da refundação do sistema financeiro global?, acrescentou. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.