ACM quer julgamento isento e nega renúncia

O senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) disse, ao chegar ao Congresso Nacional, que espera um julgamento isendo e justo do Conselho de Ética do Senado, que amanhã apreciará o parecer do relator Roberto Saturnino (PSB-RJ) que recomenda a cassação de ACM e do senador José Roberto Arruda. "O julgamento deve ser o mais isento possível, jurídico e político porque sendo feita justiça, evidentemente os senadores não vão fazer prejulgamento absurdo que seria a pena capital", afirmou. ACM voltou a descartar a hipótese de renúncia e se reuniu com advogados e com os senadores Waldéck Ornélas e Paulo Souto para discutir o teor do voto em separado - espécie de parecer alternativo ao relatório do senador Roberto Saturnino Braga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.