ACM quer acordo com oposição contra Jader

O presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), afirmou que acredita em um entendimento entre o PFL e as oposições para a escolha de um candidato comum à Presidência do Senado. "Agora, não sei dizer se será com a primeira, segunda, terceira ou quarta via", ressalvou. Sobre a candidatura do senador Jefferson Peres (PDT-AM), já lançada por partidos de oposição, Magalhães afirmou que o PFL não veta ninguém, mas "tem suas preferências em outros quadros, inclusive na oposição". Acrescentou que o PFL pode até lançar um candidato próprio. Ele declarou que seu voto pessoal será dado de acordo com a deliberação do partido. A uma pergunta de um repórter sobre a candidatura de Peres, o presidente do Senado afirmou ter por pelo senador do PDT "a maior simpatia e respeito, por se tratar de uma das melhores figuras da Casa". Acrescentou que dá todo apoio a um acordo entre o PFL e as oposições, pois - previu - se isso ocorrer, o candidato do PMDB, senador Jader Barbalho (PA), "matematicamente", não vencerá. "A dissidência de um lado e de outro é ruim, pois temos que nos unir para evitar o mal maior: o mal maior é o Jader", declarou. O senador baiano tornou a negar que tenha sugerido a retomada das investigações das denúncias contra o ex-ministro Eduardo Jorge Caldas. Disse, no entanto, que poderá levantar denúncias em relação a outros setores do governo, pois considera isso parte do seu dever de colaboração com "um presidente honesto, como eu acredito que seja Fernando Henrique."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.