ACM propõe uso das Forças Armadas contra crime organizado

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) defendeu em discurso na tribuna, a presença das Forças Armadas no combate ao crime organizado. Ele disse que é necessário equipar e treinar os militares para desempenhar essa tarefa. "Os militares, com o auxílio de seus comandantes, têm a obrigação de repensar o papel das Forças Armadas, buscando torná-las, com o patriotismo já existente, ainda mais úteis ao País", afirmou Magalhães. Ele lembrou que hoje o cidadão tem medo da própria polícia e considerou "estarrecedores" os números que apontam a quantidade de criminosos que voltam a praticar crimes depois da decretação de prisões preventivas ou depois de serem beneficiados com habeas-corpus. Em aparte, o senador Demóstenes Torres (PFL-GO), relator da subcomissão da segurança pública, disse ser também favorável à participação das Forças Armadas no combate ao crime. "Não se combate o crime organizado com canja de galinha", disse Torres. "Temos que moralizar o sistema penitenciário, separando quem pertence ao crime organizado dos bandidos pé-de-chinelo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.