ACM promete lutar pela moralidade

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) prometeu hoje "lutar pela moralidade pública e decência", ao participar da inauguração de obras do governo do baiano na cidade de Itapetinga, a 571 quilômetros de Salvador. Ele recebeu a solidariedade dos correligionários pefelistas baianos que, no entanto, não se referiram ao caso da violação do painel do Senado, no qual ACM e o senador José Roberto Arruda (PSDB-DF) são suspeitos de envolvimento.No discurso, para cerca de três mil pessoas que lotavam a praça, Magalhães não falou sobre o escândalo do painel e procurou levantar velhas bandeiras. "Enquanto vida tiver, vou lutar pela moralidade pública e decência", disse. Emocionado, lembrou os três anos da morte do filho, deputado Luís Eduardo Magalhães, que, na visão do senador, seria nesse momento a principal figura política da Bahia e forte candidato à presidência da República.Aproveitou também para dar criticar seu adversário na Bahia, o líder do PMDB, deputado Geddel Vieira Lima (BA). "Querem ficar rico mas não querem enriquecer o povo de Itapetinga", falou. "Se tiver que escolher entre a Bahia e o presidente da República, ficarei com a Bahia pela moralidade pública".Magalhães tomou água de coco, assistiu a apresentação de grupos de capoeira, distribuiu autógrafos, abraços, apertos de mão e percorreu, junto com o governador César Borges (PFL), os senadores Waldeck Ornélas e Paulo Souto (ambos do PFL-BA), as instalações do parque esportivo inaugurado.Ele ouviu satisfeito os discursos dos correligionários Ornélas e Souto. "O que existe hoje é um falso PMDB, que não é mais o partido histórico de Ulysses Guimarães", disse Ornélas, numa alusão às denúncias que envolvem o presidente do Senado, Jáder Barbalho (PMDB-PA).Paulo Souto manifestou apoio a ACM com elogios. "A vida dos políticos muitas vezes passa por injustiças, mas não há injustiça que não seja vencida pelo amor do povo a seus líderes", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.