ACM Neto critica modificação de proposta da reforma

O líder do Democratas na Câmara, deputado ACM Neto (BA), afirmou que a proposta do governo de reforma tributária será encaminhada ao Congresso Nacional prevendo a desoneração da folha de pagamento das empresas. Ontem, em reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, as centrais sindicais pediram a revisão desse item da proposta. Mas segundo o líder do DEM, qualquer modificação da proposta terá que ser discutida no Congresso Nacional. Na avaliação de ACM Neto, se governo começar a fazer alterações na proposta, antes de ser enviada ao Congresso, o texto não será aprovado. "Existem pressões de todos os lados", afirmou ACM Neto ao deixar uma reunião que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, conduziu com presidentes e líderes dos partidos de oposição e do governo. ACM Neto considerou, no entanto "acanhada" a proposta do governo de redução da carga tributária e divisão do bolo da arrecadação de tributos e contribuições entre os entes federativos. Pela proposta, a reforma tributária terá peso neutro sob o ponto de vista de arrecadação, sem aumento ou diminuição da carga tributária. ACM Neto disse ainda que os três princípios fundamentais para o partido para a votação da reforma tributária é a redução da carga, redivisão das receitas e simplificação do sistema. Para ele apenas a simplificação está sendo bem contemplada na proposta. Ele disse que os democratas estão dispostos a dialogar com o governo, mas qualquer manifestação pontual do partido, em relação a proposta, deverá ser feita no Congresso. Para ele a redução da carga tributária é importante e todos (estados, municípios e governo federal) têm de ceder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.