ACM Neto assume prometendo relação de cordialidade com o governo do PT

Prefeito de Salvador também afirmou que fisiologismo será 'proibido' em sua administração

Heliana Frazão, especial para o Estado,

01 de janeiro de 2013 | 20h00

SALVADOR - O novo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), tomou posse na tarde desta terça-feira, 1º de janeiro, e no seu discurso afirmou que manterá uma relação de cordialidade com os governos estadual e federal, ambos do PT. O governador do Estado, Jaques Wagner (PT) não compareceu.

A cerimônia de posse começou por volta das 15h, no plenário da Câmara de Vereadores, que fica em frente ao prédio da prefeitura. Como o local não comportou o grande número de pessoas presentes, houve apenas a assinatura do termo de posse do prefeito, da sua vice, Célia Sacramento (PV), e dos 43 vereadores. Em seguida o prefeito e a vice atravessaram a rua para discursar para o povo.

ACM Neto queixou-se da herança recebida do agora ex-prefeito, João Henrique Carneiro (PMDB), mas afirmou que não olhará para o passado. Oposição ao governo petista, ACM Neto disse que fará parcerias com as administrações estadual e federal, mas também saberá cobrar o que Salvador tem direito como terceira maior capital do país.

"A eleição acabou, agora é hora de descer do palanque. Não vou governar fazendo política partidária, pensando nas próximas eleições. Não vou permitir negociar o futuro da cidade por vantagens políticas. Os interesses de Salvador devem estar em primeiro lugar", afirmou, garantindo que o fisiologismo será "proibido" em sua administração.

Tudo o que sabemos sobre:
ACM NetoSalvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.