ACM não acredita em demissões de apadrinhados

O ex-presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), disse hoje, ao chegar ao Congresso, não acreditar que o presidente Fernando Henrique Cardoso venha a demitir aos diretores regionais do DNER e do INSS na Bahia, apadrinhados por seu grupo político, conforme nota publicada hoje no jornal O Globo. "É um direito do presidente nomear e demitir, mas tenho a impressão de que essa nota não representa o pensamento nem do presidente nem do governo", disse ACM. Segundo ele, o governador da Bahia, César Borges, teria feito um entendimento com o presidente para que não houvesse tais demissões e, segundo informações que lhe chegaram, o presidente iria cumprir esse entendimento. O senador disse, ainda, que não pretendeu acusar o presidente, ao afirmar, ontem, em discurso no plenário do Senado, que as denúncias de desvios de dinheiro na Sudam "atingem o presidente".Segundo ele, sua intenção foi cobrar informações do governo sobre as pessoas envolvidas no rombo da Sudam. "Evidentemente, o presidente e o governo foram ludibriados quando indicaram pessoas desonestas para roubar R$ 2 bilhões. Isso, aliás, vem antes dele e continua no governo dele", afirmou o senador, referindo-se ao presidente Fernando Henrique.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.