ACM Júnior exige desmentido da PF no caso Satiagraha

Seu nome está em organograma elaborado pela PF para explicar a rede de influência montada por Dantas

CIDA FONTES, Agencia Estado

15 de julho de 2008 | 17h04

O senador Antonio Carlos Magalhães Junior (DEM-BA) anunciou, discurso no plenário, ter enviado carta ao ministro da Justiça, Tarso Genro, reivindicando desmentido da Polícia Federal sobre a inclusão do seu nome num organograma elaborado pela PF para explicar a rede de influência montada pelo sócio fundador do Banco Opportunity, Daniel Dantas, ao divulgar a Operação Satiagraha. A notícia foi publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo em sua edição de sábado.       Veja também: Presidente do STF justifica libertação de Dantas  Opine sobre nova decisão que dá liberdade a Dantas  Entenda como funcionava o esquema criminoso  Veja as principais operações da PF desde 2003  As prisões de Daniel DantasEm um trecho da carta, ACM Junior afirma que "naturalmente, uma vez que a afirmação é mentirosa e absolutamente improcedente, na mesma matéria o jornal informa não constar em parte alguma do tal relatório qualquer dado que fundamente a inclusão do meu nome na referida rede". O senador baiano exigiu, em seu discurso na tribuna, explicações "para a descabida ilação e a imediata retratação pelo gesto leviano, anti-republicano e cada vez mais freqüente de dar vazamento público a esse tipo de irresponsabilidade".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.